GRUPO HORVICRISTO

GRUPO HORVICRISTO
AÇÃO SOCIAL - SEJA UM MANTENEDOR DESTA OBRA. LIGUE (21 9570 6926 - 2616 7622 - 8693 0926 )

Páginas

quinta-feira, 20 de maio de 2010

1ºEncontro de casais

HORVICRISTO convida a todos para o 1ºEncontro de casais

Local E. M. Levi CarneiroDia 17 de julho as 19:30 - valor R$20,00 (O casal)Vagas limitadas !!!!

Maiores info: Simone: 85443351-Mery: 95729044–Ana Paula: 71290942

Você não pode perder esta oportunidade de buscar uma unção especial para o seu casamento!

Realização: HORVICRISTO(Homens resgatando vidas para cristo)

sábado, 1 de maio de 2010

Parceria ajuda famílias que perderam tudo na chuva

Ejesa é a primeira empresa a colaborar para programa de assistência da prefeitura. Desalojados receberão cestas básicas e terão atividades de saúde, lazer e educação

Rio - Uma rede de solidariedade liderada pela prefeitura começa a dar apoio a quem perdeu tudo nas chuvas. O Município lançou ontem o Programa de Assistência às Famílias de Desalojados, que garantirá alimentação, saúde, educação e lazer a vítimas de deslizamentos. A Empresa Jornalística Econômico S/A (Ejesa) é a primeira parceira e arcará com a distribuição de cestas básicas a ex-moradores do Morro dos Prazeres, em Santa Teresa. A Ejesa publica o jornal ‘Brasil Econômico’.

.
Sérgio afirmou que toda ajuda é bem-vinda. Parceria com Ejesa dará cestas a 230 famílias de Santa Teresa Foto: Fernando Souza / Agência O Dia.Na tragédia do início de abril, 30 pessoas morreram na favela, e cerca de 500 casas foram condenadas pela Defesa Civil. A Ejesa entregará, a cada 15 dias, por dois meses, cestas básicas a 230 famílias selecionadas pela Secretaria de Assistência Social. Mais de mil pessoas serão beneficiadas.

“Esperamos que outras empresas sigam o exemplo da Ejesa, que demonstrou ter visão mais ampla da questão social, a partir dos graves problemas que afetaram as famílias mais carentes da cidade”, afirmou o secretário de Assistência Social do Rio, Fernando William.

AJUDA QUE AMENIZA A DOR

“A iniciativa junto à Secretaria de Ação Social destaca a nossa preocupação em participar ativamente da construção de uma sociedade mais digna”, explicou o presidente da Ejesa, José Mascarenhas.

Para o auxiliar de serviços gerais Sérgio Conceição da Silva, 52 anos, toda ajuda é bem-vinda. A casa de sua família foi soterrada. “Essa doação ameniza nossa dor. Graças a Deus, eu, minha mulher, Maria Lúcia, e minha filha, Júlia, de 14 anos, sobrevivemos”, agradeceu Sérgio. O vizinho Nilo Sérgio Rodrigues dos Santos, 48, também se emocionou: “Isso contribui muito para aliviar nosso sofrimento”. Ele perdeu na enxurrada o filho, dois sobrinhos e o cunhado.

Doação faz desalojada que viu o filho morrer voltar a sorrir

Edna da Silva Correa, 60 anos, abriu largo sorriso ao receber a primeira cesta básica. “Na verdade, este é o primeiro sorriso que consigo expressar desde que essa tragédia se abateu sobre nós”, afirmou Edna. Ela estava no hospital com o filho, Vagner, 25, que se recuperava de complicações respiratórias, quando recebeu a notícia de que sua casa fora soterrada. “Meu filho não aguentou o baque e morreu na hora”, lembra, ressaltando que outros sete parentes, entre filhos e netos, “se salvaram por milagre”.

A Prefeitura do Rio mantém o telefone 3973-3800 para falar com empresas interessadas em participar do programa. Outros parceiros, segundo o secretário Fernando Willian, poderão colaborar para suprir necessidades como materiais de construção, ferramentas, agasalhos e roupas de cama.

O Ministério das Cidades vai liberar R$ 150 milhões para estados e municípios atingidos pelas chuvas em todo o país. Os recursos serão usados em melhoria e produção de moradias nos municípios em situação de emergência ou estado de calamidade pública.

Fonte: www.odia.com.br

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Conheça a Igreja Assembéia de Deus

Em 19/01/1910, chegam ao Brasil, enviados por Deus, Gunnar Vingren e Daniel Berg. AO desembarcarem em Belém do Pará, não possuíam amigos e nem conhecidos, mas estavam certos de estarem obecendo a ordem divina. Foram recebidos pelo dirigente da Igreja Batista, pastor Raimundo Nobre, que os hospedou no porão da referida igreja. Quando recebiam oportunidade na igreja, expunham as verdades bíblia sobre o Pentecoste.

Em 8 de junho de 1911, realizaram um culto de vigília, na casa da irmã Celina Albuquerque, onde a irmã foi batizada com o Espírito Santo. Com este acontecimento, Deus confirmara a Doutrina Pentecostal, sobre a qual havia falado no Brasil.

Após 3 meses, a igreja Batista de Belém, se dividiu, pois os tradicionais pediaram aos missionários que saíssem da igreja, com o grupo que já havia aceitado o Pentecostalismo.

No dia 18 de junho de 1911, na residência do irmão Henrique Albuquerque, situada à Rua Siqueira Mendes, 67 no Bairro Cidade Velha, 19 pessoas decidiram organiza-se como igreja, chamada de Missão da Fé Apostólica.

No dia 11 de janeiro de 1918, foi registrada oficialmente como Assembléia de Deus no Brasil, primeira igreja no mundo a adotar esse nome.

Rapidamente, a Assembléia de Deus foi se espalhando por outros Estados brasileiros, tornando-se a "igreja das multidões".

Desde 1989, a Assembléia de Deus aqui no Brasil, divide-se em dois seguimentos principais:

CGADB-Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil

CONAMAD- Convenção Nacional de Madureira das Assembléias de Deus.

Existem ainda pequenos ministérios e igrejas independentes que adotam o nome - Assembléia de Deus- cremos porém, que um só é o Espirito que vem apascentando todo este rebanho, afim de apresenta-lo irrepreensível diante do Trono de Deus.

A Assembléia de Deus em São Paulo

Em 1924, chega à cidade de Santos, Estado de São Paulo, o Evangelho Pentecostal.

O missionário daniel Berg, agora casado com Sara Berg, passa a atender a obra de Deus em Santos.

Em 1925, Daniel berg efetuou o primeiro batismo em águas no Estado de São Paulo.

Foi no dia 15 de novembro de 1927, que chegaram a capital de São Paulo, Daniel e Sara Berg.

Os primeiros cultos foram assistidos somente por duas ou três pessoas.

No dia 04 de março de 1928, efetuou-se o primeiro batismo em águas na capital paulista. Nessa época, os cultos eram realizados na casa do missionário Samuel Nystron, no bairro do Brás, à Rua Chavantes, 03.

Os pioneiros da Assembléia de Deus em São Paulo, à semelhança dos bandeirantes paulistas do Período Colonial, deixaram a capital, rumo ao interior, não em busca de tesouro materiais como aqueles, mas sim em busca de almas que pudessem ser salvas e assim participarem do reino Deus.

Extraido do site: www.conhecimentobiblico.com.br

A boca e os lábios

Certamente você entende que não é possível louvar a Deus em silêncio. Louvar a Deus e dar-lhe graças é uma prática verbal, ou seja, é preciso falar e dizer os louvores. Observe como disse o salmista:

“A minha língua celebrará a Tua justiça e o Teu louvor todo o dia” - Salmo 35:28.

“Profira a minha boca louvores ao Senhor e toda carne louve o Seu santo nome para todo o sempre” - Salmo 145:21.

“Com júbilo nos lábios¸ a minha boca Te louva” - Salmo 63:5.

“O Senhor é a minha força e o meu escudo... por isso o meu coração exulta e com o meu cântico o louvarei” - Salmo 28:7.

“Cantai a Deus, salmodiai (cantar ou dizer com salmos) o Seu nome; exaltai ao que cavalga sobre as nuvens. Senhor é o Seu nome, exultai diante dEle” - Salmo 68:4.

Por essas citações, você pode entender que o louvor a Deus pode ser falado ou cantado. O livro de Salmos reúne “cânticos de louvor”.

O louvor é a expressão na boca (na língua) da “condição do coração, e está exatamente nisso o valor dele. Através do louvor, publicamos (tornamos público) a grandeza do nosso Deus, para que os homens saibam como Ele é grande em nós e para que satanás entenda que está em Deus a nossa confiança. O salmista afirma:

“Cantai ao Senhor, bendizei o Seu nome: proclamai a sua salvação dia após dia. Anunciai entre as nações a sua glória, entre todos os povos as suas maravilhas. Porque grande é o Senhor e mui digno de ser louvado” - Salmo 96:2-4.

“Exaltar-Te-ei, ó Deus meu, e Rei; bendirei o Teu nome para todo o sempre. Todos os dias Te bendirei, e louvarei o Teu nome para todo o sempre. Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, a Sua grandeza é insondável” - Salmo 145:1-3.

Que você e eu possamos louvá-lo continuamente! Mas talvez você me diga: O que devo dizer? Como vou louvar ao Senhor? Realmente, não há uma fórmula, pois o louvor a Deus é uma expressão espontânea e muito pessoal daquilo que sentimos no coração em relação a Deus e a Sua grandeza para conosco. Dá-se graças informalmente e de maneira muito natural. Muitas vezes o louvor surge do nosso íntimo como resultado da nossa adoração. No livro “Vamos Adorar” diz que, quando você e eu adoramos a Deus corretamente, ou seja, “em espírito e em verdade”, quase sempre “explodimos” em cânticos ou expressões de profundo louvor na maior naturalidade possível.

Extraído do site:www.conhecimentobiblico.com.br

Desabrigados do Bumba vão só aos poucos para casas novas

Pendências como transferência escolar atrasam a mudança de 93 famílias

Depois de receberem do governo estadual 93 apartamentos no condomínio Várzea das Moças, no domingo (25), famílias de desabrigados do deslizamento do morro do Bumba, em Niterói, começaram a fazer por conta própria a mudança nesta terça-feira (27), quando as chaves lhes foram entregues. Ao todo, 46 pessoas morreram quando o morro, localizado sobre um antigo lixão, deslizou no último dia 7. Outras dezenas de famílias desabrigadas ainda não receberam apartamentos.

Até a manhã desta quinta- feira (29), apenas 18 famílias tinham se mudado para o local. Alguns dos novos moradores vão esperar o fim de semana, ou um dia de folga para se mudarem, pois não podem mais faltar ao trabalho.

Outros, como Cristiane de Oliveira, que perdeu 18 familiares na tragédia e ainda espera notícias sobre o corpo de uma tia, precisam resolver pendências. Ela disse que não vai se mudar agora porque precisa antes transferir a filha para uma escola mais próxima do novo endereço. A menina estudava bem perto do morro do Bumba.

Diferentemente do que aconteceu com os desabrigados do morro do Urubu, em Pilares, na capital, a secretaria de Assistência Social não entrou em contato com os moradores para auxiliá-los na mudança, inclusive em relação à transferência de colégio.

Procurada nesta quinta-feira pela reportagem, a secretaria não deu uma resposta sobre a falta de ajuda para as mudanças.

Luciane França, de 16 anos, que já foi morar no novo apartamento com o marido, Herberton Sejanoque, 19, e o filho Lucas, de dois, disse que ela e o marido vão ter de pegar dois ônibus e viajar cerca de uma hora até o colégio onde estudavam no Caramujo. Antes, eles iam a pé para a escola.

- Ninguém veio falar nada com a gente ainda, se ficar muito pesado para ir estudar, eu vou parar esse ano e depois, quem sabe, eu volto.
Ela estuda na oitava série, e ele está no primeiro ano do ensino médio. O casal morava na casa dos pais de Herberton, que morreram no deslizamento. Um irmão dele também morreu.

A mudança para os apartamentos não atrapalhou o deslocamento de todos. Quando morava no Bumba, o técnico de informática Ezequiel Barbosa gastava cerca de 40 minutos para chegar ao trabalho, pegando dois ônibus para ir e dois para voltar, ao custo total de R$ 9,60 por dia. Agora, ele precisa pegar apenas um ônibus em cada trajeto, gastando 4,80 diariamente e até já pensa em comprar uma bicicleta para ir trabalhar.

A mulher de Ezequiel, Gisele, está encantada com a nova casa, que tem dois quartos, cozinha, sala e banheiro e veio mobiliada graças a doações de uma loja de eletrodomésticos. Gisele ficou 20 dias na Igreja Batista do bairro Viçoso Jardim, perto do morro do Bumba, e se mudou logo na terça-feira à noite.

- Aqui é muito bonito , muito tranquilo melhor para criar o Miguel [seu filho] sem violência, sem tiro. Eu ainda preferia a minha casa, porque foi a gente que construiu, mas só se não fosse no morro. Aqui também vai ter uma organização melhor.

O condomínio Várzea das Moças fica no número 9.780 da Estrada Velha de Maricá e será todo ocupado pelos desabrigados do morro do Bumba. Os apartamentos faziam parte do Programa de Arrendamento Familiar, do governo federal, e foram transferidos para o Programa Minha Casa, Minha Vida. O valor dos apartamentos será subsidiado pelo governo do Estado, assim como um ano de condomínio e taxas de luz.

Os imóveis, avaliados em R$ 50 mil cada, são distribuídos em três blocos, com quatro pavimentos cada. Os moradores contarão ainda com guarita de segurança, centro de convivência e playground.

O temporal que castigou principalmente a região metropolitana no início do mês fez 168 vítimas em Niterói. O total de mortos no Estado chegou a 256.


Fonte: r7.com

terça-feira, 27 de abril de 2010

Moradores de Niterói podem ficar sem água

Manutenção em adutora prejudica abastecimento na cidade

A Águas de Niterói, empresa responsável pela distribuição de água no município, informou que está realizando uma manutenção na adutora do sistema Imunana Laranjal – operado pela Cedae –, que afetou o abastecimento de água em todos os bairros da cidade.

Segundo a empresa, o sistema foi interrompido às 15h, desta segunda-feira (26), e só há previsão de retorno para as 20h desta terça-feira (27). A Águas de Niterói também informou que o abastecimento só estará totalmente normalizado 72 horas após a conclusão dos reparos.

A concessionária pede que a população economize água. Serão disponibilizados carros-pipa para os serviços essenciais como hospitais, postos de saúde, creches e escolas.

Fonte: r7.com

Frente fria deixa Defesa Civil em estado de atenção

Há previsão de chuva leve a moderada no Rio.
Órgão faz alerta a moradores de áreas de risco.

A Defesa Civil do município do Rio informa que a cidade está em estado de atenção por conta da chegada de uma frente fria, que permanece até quarta-feira (28). Há previsão de chuva leve a moderada, podendo ocorrer pancadas fortes em algumas regiões.

Segundo o órgão, moradores de áreas de encostas e locais sujeitos a deslizamentos devem ficar atentos e, ao detectar sinais de trincas no solo e rachaduras nas paredes, devem se abrigar em locais seguros até a chuva passar.

Em caso de emergência, a população deve ligar para a Defesa Civil pelo telefone 199, que funciona 24 horas.

No início da noite desta terça-feira (27) já chove em alguns pontos da Zona Sul do Rio, como no Jardim Botânico.

Fonte: globo.com